Flávia Arruda lança Campanha Sinal Vermelho no DF

A campanha Sinal Vermelho para a Violência contra a Mulher foi lançada oficialmente no Distrito Federal em reunião promovida pela deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), nesta quinta-feira (30). A ação é uma iniciativa da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com farmácias de todo o país.

A ideia da campanha é simples e eficaz. A mulher, vítima da violência doméstica, vai até uma farmácia e apresenta um X na palma da mão. Esse é o sinal para que o atendente da farmácia entre imediatamente em contato com a polícia, que inicia o atendimento e a proteção da mulher.

“A violência contra a mulher é uma agressão que atinge toda a família. Essa campanha reforça a importância de ir ao encontro destas vítimas e integrar toda a sociedade neste combate. É uma iniciativa que dá voz e acolhe, mais uma ferramenta importante para quebrar esse ciclo de violência”, afirma Flávia Arruda.

A presidente da AMB, Renata Gil, destacou a necessidade de ampliar a rede de apoio e a compromisso da instituição e do poder judiciário em trabalhar pela causa. “A sociedade precisa saber que é o momento de nos unirmos contra esse mal”, reforçou Renata Gil.

Distrito Federal

Dados da segurança revelam que no Distrito Federal a segunda causa de acionamento da Polícia Militar pelo 190 está relacionada à violência contra a mulher. A primeira é perturbação da ordem.

De acordo com o Conselho Regional de Farmácias do DF, a rede de estabelecimentos conta com mais de 1,3 mil farmácia, o que pode potencializar ainda mais as denúncias – que já atingiram um aumento de 32% somente no período da pandemia.

Ação integrada

O lançamento da campanha foi promovido em parceria com a Comissão da Primeira Infância, liderado pela deputada Paula Belmonte, e contou com a participação do conselheira Maria Cristiana Ziouva, do Conselho Nacional de Justiça; da Tenente Adriana Vilela, Coordenadora do Programa Orientado à Prevenção da Violência Doméstica e Familiar; Gilcilene Chaer, presidente do Conselho Regional de Farmácias do DF; da deputada federal Erika Kokay (PT-DF); da deputada distrital Júlia Lucy (Novo-DF); e da procuradora do Ministério Público do DF, Isabella Chaves.

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments