Flávia Arruda reafirma compromissos com Direitos Humanos

O mundo comemora nesta terça-feira (10) o Dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Foi em 10 de dezembro de 1948 que a declaração foi apresentada e proclamada durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Por isso, dois anos depois, em 1950, a ONU oficializou a homenagem ao dia histórico para os direitos da humanidade. Na verdade, para muitos, um dia que separa a humanidade entre a barbárie e a civilização. Imagem reforçada pela ocorrência de duas guerras mundiais, anteriores à declaração dos direitos humanos.

Flávia Arruda

Agraciada com o Prêmio Direitos Humanos do Distrito Federal, no dia 4, a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF) considera que nesse campo ainda “há muitos desafios a vencer, especialmente no atendimento aos mais vulneráveis”.

Sobre o prêmio recebido, a parlamentar se considera mais que feliz. “Mostra que nosso trabalho pela cidade está avançando, justamente no atendimento a essa parcela mais vulnerável, o que dá sentido ao nosso mandato”, declarou.

A parlamentar tem investido o maior tempo de seu mandato para denunciar a violência contra as mulheres, especialmente o feminicídio, e atender as camadas mais sofridas da população.

“É inquietante observar que, mais de 70 anos após a declaração universal dos direitos humanos, ainda exista tanta desigualdade, não apenas em nosso país, mas no mundo inteiro”, enfatizou a parlamentar.

Outros agraciados

Ao lado de Flávia Arruda foram agraciados com o prêmio dos Direitos Humanos os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes, ambos do Supremo Tribunal Federal.

Acompanhe a Flávia 

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar