O parto é um dos momentos mais importantes da gravidez, considerando que marca o encerramento de algumas vivências da gestante, por este motivo é fundamental ter o acompanhamento de profissionais da saúde preparados para um novo olhar sobre a mãe depois do parto.

Ao longo da gravidez, a mãe tem uma série de inquietações, mas o parto é o momento mais complexo, aparecem dúvidas e receios sobre como se dará o parto, a sua saúde e a do bebê. Esses sentimentos são inevitáveis e provocam ansiedade e medo, levando a alterações emocionais de algumas mães. Em alguns casos, uma série de fatores físicos e emocionais resulta em depressão pós-parto, que pode trazer consequências afetivas ao vínculo da mãe com o bebê. Segundo pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 1 em cada 4 mulheres apresentam sintomas de depressão pós-parto no Brasil.

O atendimento humanizado é amplo e envolve um conjunto de conhecimentos que iniciam no pré-natal, quando são observados o desenvolvimento do feto e a saúde da mãe, e que vão garantir procedimentos seguros e benéficos para a saúde feminina e emocional da mãe, do bebê e ainda preservam a privacidade da família. Na maioria dos casos, as consultas do pré-natal são periódicas, mensal até o sétimo mês de gestação. Após completar trinta semanas, a visita ao obstetra é recomendada a cada quinze dias, e no último mês de gravidez, semanalmente.

Projeto Mãezinha Brasiliense Mãe e filho 1024x682 - Mãezinha Brasiliense
Mãe e filho beneficiados pelo projeto Mãezinha Brasiliense


Assistência para mães e bebês

Com o objetivo de assistir todas as mães que saem da maternidade dos hospitais públicos do Distrito Federal, o projeto Mãezinha Brasiliense, foi criado em 2009, para oferecer atendimento humanizado, com atendimento prioritário na rede pública de saúde e um kit enxoval.

Há muitas maneiras de realizar assistência humanizada, no projeto, o acompanhamento é realizado por profissionais capacitados nas diversas unidades da Secretaria de Saúde que contribuem com atendimento material e psicológico para mães que ganham os seus bebês nos hospitais públicos. Funcionários da rede Mãezinha Brasiliense participam de todo o processo, dando suporte às mães desde a internação até a alta.

O projeto tem a intenção de dar apoio à mãe e ao bebê, além de orientar e conscientizar sobre cuidados fundamentais entre mãe e filho.

  • Atender necessidades do nascituro;
  • Fortalecer os vínculos socioafetivos familiares de mulheres gestantes;
  • Despertar a responsabilidade materna e estimular o vínculo afetivo com o bebê, entre outros aspectos fundamentais para o desenvolvimento psicossocial da criança;
  • Orientar as gestantes sobre amamentação, cuidados com o bebê e planejamento familiar, por meio de palestras educativas e distribuição de material didático;
  • Estimular a realização do pré-natal desde o início da gravidez;
  • Conscientizar e incentivar a doação de leite materno;
  • Contribuir para o aumento de registros civis realizados no Distrito Federal.

Kit Enxoval

Os benefícios do Kit Enxoval são distribuídos nas Unidades por profissionais capacitadas, chamadas “Mãezinha Brasiliense”, que realizam visitas no Alojamento Conjunto (ALCON), cadastram cada mãe e orientam sobre aleitamento materno, que envolve a educação da mulher sobre os cuidados próprios do ato, junto ao Banco de Leite dos hospitais.

Projeto Mãezinha Brasiliense 150x150 - Mãezinha Brasiliense
Projeto Mãezinha Brasiliense

O Kit Enxoval fornecido nas Unidades de Saúde do Distrito Federal continha 22 itens:

  • Bolsa com cobertor
  • Roupinhas de bebê
  • Meias
  • Fralda descartável
  • Pomada para assadura
  • Lenços umedecidos
  • Trocador portátil

Os hospitais públicos do Brasil têm buscado oferecer assistência humanizada ao parto, e muitos estão conseguindo. O Programa Mãezinha Brasiliense do Governo do Distrito Federal, instituído pelo Decreto nº 29.970/2009, com a denominação de Auxílio Maternidade, visa assegurar proteção social à gestante e ao recém-nascido. Foi lançado no dia 26 de maio de 2009, primeiramente nos Hospitais na Ceilândia e Taguatinga, e posteriormente nas outras Unidades de Saúde.

O projeto já esteve em atividade em 12 hospitais do Distrito Federal:

  • Asa Norte – HRAN
  • Asa Sul – HRAS
  • Brazlândia – HRBZ
  • Ceilândia – HRC
  • Gama – HRG
  • Paranoá – HRPA
  • Planaltina – HRPI
  • Samambaia – HRSAM
  • São Sebastião – Casa de Parto
  • Sobradinho – HRS
  • Taguatinha – HRT
  • Hospital Universitário – HUB

O Programa Mãezinha Brasiliense foi idealizado por Flávia Arruda, pré-candidata a deputada federal, com o apoio do Instituto Fraterna, das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (SEDEST), Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES) e do Governo do Distrito Federal. “Mãezinha Brasiliense é um projeto do meu coração. É uma coisa simples para quem doa e enorme para quem recebe. A bolsa contém todos os itens necessários para um recém-nascido. As roupas são de excelente qualidade e podem ser usadas por um bom tempo”, disse Flávia Arruda.

Fechar Menu