Decorrente da pobreza, da falta de oportunidades e da ausência de vínculos afetivos, muitas pessoas vivem em situação de vulnerabilidade social no Distrito Federal.

Desenvolver projetos sociais é fundamental para mudar o rumo da história da população que sobrevive à vulnerabilidade social e necessita de oportunidades para oferecer mais dignidade à sua família.

No Distrito Federal, a população do Entorno e das cidades satélites são as que mais sofrem com a falta de políticas públicas, projetos sociais e serviços de qualidade. A assistência a esses municípios precisa ser retomada, para que projetos sociais que já existem na área social possam dialogar com a realidade da população e garantir serviços eficientes, através de medidas capazes de proporcionar desenvolvimento socioeconômico para enfrentar as desigualdades sociais e aumentar o bem estar coletivo.

A integração de ações na área social, da educação e de infraestrutura é construída através de políticas públicas que buscam oferecer melhores serviços, fomentar a produção local e incentivar a geração de emprego e oportunidades de qualificação profissional. Através de projetos sociais é possível promover qualidade de vida, desenvolvimento, distribuição de renda e cidadania a todos.

As chamadas redes de apoio e de proteção social tem como objetivo combater a desigualdade social e estimular economicamente a população, além de desempenharem funções essenciais para que famílias consigam caminhar com suas próprias pernas, sem depender de ações sociais do estado.

A promoção de ações através de projetos sociais ajudam a restabelecer a dignidade para uma parcela da população que é excluída e permanece sem acesso aos direitos básicos. Flávia Arruda idealizou e construiu, ao lado do seu marido, José Roberto Arruda, ex-governador do Distrito Federal, os principais programas de política social que oferecem segurança alimentar, inclusão, retomada da cidadania, geração de empregos, qualidade de vida, qualidade nos serviços básicos de saúde, educação e infraestrutura, e que tem como objetivo transformar vidas para melhor.

Projeto Mãezinha Brasiliense

Projeto Mãezinha Brasiliense Mãe 1024x682 - A responsabilidade social no Distrito Federal
Projeto Mãezinha Brasiliense

Com o objetivo de assistir as mulheres grávidas nos hospitais públicos do Distrito Federal, o projeto Mãezinha Brasiliense foi criado em 2009, para oferecer um kit enxoval, atendimento humanizado e prioritário na rede pública de saúde.

Os critérios para a mãe que recebia o benefício eram:

  • acompanhamento da gestação (pré-natal)
  • parto na rede pública de saúde

No período dos sete meses de projeto na rua, foram beneficiados cerca de 25 mil mães e bebês.

Cesta Básica

Alimentos não perecíveis 1024x685 - A responsabilidade social no Distrito Federal

O cartão “Vida Melhor” substituiu a cesta básica. As famílias podiam sacar os valores do benefício nas agências do Banco Regional de Brasília (BRB), possibilitando a cada uma escolher o que colocar na mesa de casa. Mais de 2 mil famílias foram contempladas e aproximadamente 5.200 pessoas receberam o novo cartão.

O benefício era uma junção dos programas sociais do GDF com os programas do governo federal. O benefício era de acordo com o número de filhos na escola e depositado nas contas no décimo dia útil de cada mês.

Bolsa Universitária

Bolsa Universitária 1024x682 - A responsabilidade social no Distrito Federal
Bolsa Universitária

O programa ofereceu Bolsas de Estudo de 70% e vale-transporte a alunos sem condições de custear a sua formação superior e que exerciam alguma atividade profissional, sem tempo para participar de atividades todos os dias da semana. A bolsa exigia 100% de presença. O aluno se comprometia à prestação de serviços apenas 04 horas semanais, podendo ser realizadas aos domingos.

Na época, foram 2113 bolsas concedidas no Distrito Federal.

Restaurante Comunitários

Restaurante Comunitários 1024x672 - A responsabilidade social no Distrito Federal
Restaurante Comunitários

 

O projeto disponibilizou unidades de alimentação e nutrição que preparavam e comercializavam refeições balanceadas a preços acessíveis R$ 1,00, com disponibilidade de espaço para manifestações culturais. Localizados em regiões com alta concentração de população de baixa renda.

A formulação do cardápio era feita por nutricionistas, com pesquisas dos hábitos alimentares da população, respeitando as necessidades mínimas de uma boa alimentação. Na época: 620.000 refeições ao mês no Distrito Federal.

Bolsa Escola

Educação Distrito Federal e Cidades Satélites e Entorno 1024x683 - A responsabilidade social no Distrito Federal
Educação Distrito Federal e Cidades Satélites e Entorno

 

Bolsa Escola era uma ação de transferência direta de renda integrante do Programa Vida Melhor. Ela beneficiou famílias que possuiam em sua composição ao menos uma criança ou adolescente entre 3 e 17 anos, com o intuito de incentivar a permanência desses na rede de ensino superior.

Em contrapartida, a família devia se comprometer a comprovar matrícula e frequência dos estudantes, manter o cartão de vacinação infantil em dia, inscrever no Sistema Nacional de Emprego todos os membros que estavam desempregados e aptos para o trabalho e participar de atividades voltadas para a inclusão profissional dos seus membros no mercado de trabalho.

Na época, a bolsa pagava R$ 130,00 a famílias com 1 filho, R$ 150,00 a famílias com 2 filhos e R$ 180,00 a famílias com 3 ou mais filhos. Foram 3151 famílias beneficiadas.

Bolsa Social

O Bolsa Social era voltado para famílias que na sua composição não possuiam crianças ou adolescentes entre 03 e 17 anos, ou seja, aquelas que não se enquadravam no benefício Bolsa Escola.

A família devia se comprometer em manter o cartão de vacinação da gestante em dia, inscrever no Sistema Nacional de Emprego todos os membros desempregados e aptos para trabalhar e participar das atividades voltadas para a inclusão dos seus membros no mercado de trabalho.

Na época, a bolsa oferecia R$ 130,00 para a família sem filhos. O benefício ajudou 18.981 famílias.

Bolsa Alfabetização

A Bolsa Alfabetização incentivou a permanência do adulto não-alfabetizado em curso de alfabetização, fornecendo-lhe um auxílio financeiro mensal no valor de R$ 30,00 no Distrito Federal. Em média, 30% famílias foram beneficiadas. O beneficiário tinha que manter uma frequência mínima de 75% nas aulas, para que possa receber o auxílio.

Projeto Pão e Leite

Projeto Pão e Leite - A responsabilidade social no Distrito Federal
Projeto Pão e Leite

 

O projeto visou garantir direitos fundamentais e assegurar inclusão social para pessoas carentes. A ação garantiu a segurança alimentar e nutricional dessas pessoas, além de promover e fortalecer vínculos socioafetivos familiares e em comunidade.

Essa complementação nutricional beneficiou famílias, o desenvolvimento, crescimento e aprendizagem de crianças e adolescentes. O alimento na mesa de uma família é uma questão de políticas públicas nutricionais, promove qualidade de vida e cidadania.

O projeto Pão e Leite teve como objetivo a distribuição gratuita e diária (incluindo domingos e feriados) de 1 litro de leite e 02 pães de 50 gramas, a crianças com idade entre 06 meses e 07 anos de idade, a mulheres gestantes e nutrizes, aos idosos, aos portadores de doenças crônicas que trata o $ 11 do art. 5º da Lei nº 4.208/2008.

Atual população do Distrito Federal – 3,013 milhões. Na época, a população do DF: 2.562.784 milhões de habitantes. Beneficiários: 42.506

Isenção de Tarifas Públicas

Concedeu às famílias cadastradas no programa a isenção das tarifas de água e esgoto mediante convênio com a Companhia ou Agência de Abastecimento de Água, como a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

Famílias com até 4 membros recebiam isenção de 10m cúbicos, as famílias com 5 membros ou mais recebiam isenção de 15m cúbicos. As entidades sociais de utilidade pública também recebiam esse benefício. No período, 5130 famílias foram beneficiadas no DF.

Cheque Moradia

Programa destinado a ajudar na construção, reforma ou ampliação de residências de famílias em situação de vulnerabilidade, por meio da aquisição de mercadorias ou materiais de construção em empresas comprovadamente no ramo.

O beneficiário precisava comprovar renda familiar inferior a 3 salários mínimos, vínculo de residência no estado de no mínimo 5 anos, ter no mínimo 2 membros na família e não possuir outro imóvel no estado. Também escolhia onde gostaria de comprar e os benefícios eram entregues preferencialmente em nome da mulher.

Cesta Verde

Nutrição Alimentar 1024x681 - A responsabilidade social no Distrito Federal
Nutrição Alimentar

 

Ação de transferência de renda indireta, que consistia na distribuição mensal ou emergencial de uma cesta com produtos perecíveis e não-perecíveis.

Quando distribuído mensalmente, o beneficiário não podia receber a Bolsa Escola ou a Bolsa Social. Quando distribuído emergencialmente, o benefício tinha caráter provisório e atende a pessoas desempregadas sem acesso a alimentação ou passando por situação de vulnerabilidade social extrema, vítimas de calamidades naturais e deveria ocorrer enquanto durasse essa situação ou até que se implementasse ações para garantir a inclusão da família nos demais programas de transferência de renda.

No período, o programa atendeu ao mês 14.102 famílias no Distrito Federal.

Projeto Picasso não Pichava

Foi idealizado com a finalidade de direcionar jovens em estado de risco e vulnerabilidade social para que desenvolvessem seus dotes artísticos, dando a oportunidade de se manter longe da criminalidade. Esse programa ofereceu vários cursos e oficinas:

  • Oficinas – Música, Dança, Desenho, Pintura, Artesanato, Serigrafia, Informática, Capoeira, Educação e Meio Ambiente.
  • Palestras Educativas – Pichação e formação de gangues, Depredação do Patrimônio Público e Privado e Ética e Cidadania.
  • Assistência Psicossocial e Pedagógica – Através de equipe interdisciplinar nas áreas de Psicologia, Pedagogia e Serviço Social.

Esporte à Meia Noite

 

light sport night sunlight running soccer 9188 pxhere.com  - A responsabilidade social no Distrito Federal

O Esporte à Meia-Noite promoveu a implantação de atividades esportivas, culturais e educativas, de fácil aceitação entre adolescentes, como meio de mudança comportamental dos jovens.

As atividades aconteciam entre 23 e 02 horas, sendo monitoradas por profissionais de Educação Física e Primeiros Socorros, Psicólogos e Assistentes Sociais.

Dente da Gente

O Dente da Gente distribuiu kits de higiene bucal e promoveu ações educativas sobre saúde bucal, além de atendimento dentário e doação de próteses para as famílias cadastradas no Programa Vida Melhor. O programa pode ser ampliado na rede pública de educação (Programa Dentista nas Escolas).

Ver Melhor

O projeto Ver Melhor garantiu acesso à consultas, cirurgias, doação de óculos e campanhas preventivas para as famílias cadastradas no programa, através de parcerias com entidades e profissionais da área de oftalmologia. Também pode ser ampliado aos alunos da rede pública de ensino.

Morar Bem

O programa Morar Bem promoveu ações comunitárias sobre higiene ambiental, limpeza de terrenos baldios, conservação de logradouros públicos, limpeza e melhorias de ruas, avenidas e praças, com o objetivo de proporcionar às famílias melhores condições de moradia e qualidade de vida.

Fechar Menu